Projetos

Recorte – Matéria sobre o projeto Alfabetização de Jovens e Adultos EJA

Recorte – Matéria sobre o projeto Alfabetização de Jovens e Adultos EJA

Texto de Isadora Camargos

O faxineiro Josemildo Felipe da Silva, de 34 anos, mora na rua da sorveteria, pega o ônibus na esquina de cima, desce no ponto em frente à loja de roupa de dois andares, vira na rua da pastelaria e trabalha na agência bancária que tem uma rampa na porta. Analfabeto, ele teve que aprender outros sinais que não os da escrita para andar pelas ruas da cidade. Ele está matriculado no curso de alfabetização de adultos e estuda no horário de almoço no próprio local do trabalho. “O faxineiro é a pessoa que ninguém dá valor. O jeito é estudar e correr atrás do que eu quero”, diz. Pesquisa divulgada essa semana pelo Instituto Paulo Montenegro revela que 7% dos brasileiros são analfabetos.

A pesquisa foi usada para definir o 5º Indicador Nacional de Alfabetismo Funcional (Inaf). Os números revelam ainda que 30% dos brasileiros têm nível rudimentar de leitura, 38% têm o nível básico e 26% tê, conhecimento satisfatório. A pesquisa foi realizada entre os dias 30 de junho e 10 de julho deste ano.
O Inaf considera analfabetos aqueles que não conseguem realizar tarefas muito simples que envolvam decodificação de palavras e frases. Neste grupo, de 7% da população brasileira, 64% são homens, 77% têm mais de 35 anos e 81% pertencem às classes D e E. Muitos conseguem verificar data de vencimento de produtos (38%) e 86% nunca vão ao cinema, assim como Josemildo.

O dia do analfabeto que mora no bairro Nacional, em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte, começa cedo, como qualquer trabalhador que tem que sair da periferia e ir para o Centro. Ele sabe reconhecer o número do ônibus e decorou o desenho da palavra NACIONAL nos letreiros dos ônibus, o que ajuda a acertar a condução. Para pagar a passagem, usa o vale-transporte. O caminho foi decorado pela referência de prédios e lojas. Todas as informações visuais são armazenadas na memória, o que nem sempre dá certo. “Às vezes a memória falha e eu fico perdido”, reclama.

Na esquina do trabalho há uma pastelaria. No interior da loja, são vários os cartazes com preços e promoções e nenhum deles é informativo para Josemildo. Tudo ele tem que perguntar. O que é, quanto custa, de quanto é o troco. Ele conhece as notas, mas não sabe fazer contas e depende da honestidade do vendedor. A dificuldade é grande também quando tem que encontrar um endereço novo. Não adianta dizer o nome da rua porque as placas não são informativas para ele. É preciso dar referências físicas, como a sorveteria que fica perto de sua casa.

No crachá que o identifica como funcionário da empresa está escrito “Josemiltom” e ele diz que “é preciso tirar esse traço daqui”, referindo ao “t” que sobra em seu nome errado. A faxina na agência da Caixa, onde trabalha, também precisa de orientação constante. Reconhecer os produtos químicos sem ler os rótulos nem sempre é fácil, e Josemildo pergunta, como sempre. As compras de supermercado ficam extremamente limitadas. Ele não sabe o que está na prateleira, a não ser algumas marcas que aprendeu a reconhecer. E quando conhece o produto, não sabe qual é o preço. Quando sabe o preço, não sabe se é caro ou barato. Para as compras a prestação, ele estabeleceu que as parcelas não podem ser superiores a R$ 50, mas diz que nem sempre consegue controlar.

No horário do almoço, tem aula com os colegas de trabalho. São 24 adultos que trabalham nos serviços gerais, cada um com uma história de desencontro com o lápis, o caderno e as letras. A professora é bolsista do Programa Brasil Alfabetizado. No início desse ano, a organização não governamental Moradia e Cidadania, formada pelos funcionários da Caixa, fez um diagnóstico e descobriu que os funcionários precisavam de aulas de alfabetização. Procuraram a prefeitura, fizeram uma parceria e os alunos foram atendidos pelo Brasil Alfabetizado. A experiência foi positiva e agora eles têm aula do EJA com uma professora da rede municipal. As aulas acontecem diariamente no horário de almoço. Os funcionários abriram mão de parte do horário livre e os chefes concordaram em liberá-los mais cedo.

“O faxineiro é a pessoa que ninguém dá valor. O jeito é estudar e correr atrás do eu quero”
Josemildo Felipe da Silva, faxineiro

Faça o download da página com o texto original.

Encerramento do Projeto MUITAS

Aconteceu, no dia 12 de março de 2019, na sede do Movimento GRAAL, em Belo Horizonte, a reunião de avaliação do Projeto MUITAS.

“Que sejamos livres para ser o que somos. Que possamos ser mais do que sonhamos. Porque somos Muitas!”

O Projeto é uma articulação da Moradia e Cidadania, Movimento Graal do Brasil, Movimento das Mulheres da Economia Solidária – MG e a FASFI – Brasil, com financiamento da FASFI – Fundación Ayuda Solidaria Hijas de Jesús – Espanha, que tem o objetivo de “Promover a formação e capacitação das mulheres para melhor gestão e expansão do trabalho de produção qualificada e comercialização solidária, impactando no aumento de renda e nas relações coletivas”.

O projeto atendeu 80 mulheres integrantes de grupos de produção e economia solidária, na região do Campo das Vertentes, com a aquisição de fornos industriais e armários, e também, oferta de oficinas de formação, que contribuíram para melhoria da qualidade dos produtos e ampliação da produção.

 

 
 
 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Encerramento do Projeto MUITAS

Uma publicação compartilhada por Moradia e Cidadania MG (@moradiamg) em


“Que sejamos livres para ser o que somos.
Que possamos ser mais do que sonhamos.
Porque somos Muitas!”

Seminário de Encerramento – Projeto Muitas

Aconteceu no dia 7 de fevereiro no distrito de Santo Antônio do Rio das Mortes o seminário de encerramento do Projeto MUITAS.

O Projeto Muitas é uma articulação da Moradia e Cidadania, Movimento Graal do Brasil, Movimento das Mulheres da Economia Solidária – MG e a FASFI – Brasil, com financiamento da FASFI – Fundación Ayuda Solidaria Hijas de Jesús – Espanha, que tem o objetivo de “Promover a formação e capacitação das mulheres para melhor gestão e expansão do trabalho de produção qualificada e comercialização solidária, impactando no aumento de renda e nas relações coletivas”.

O projeto atendeu 80 mulheres integrantes de grupos de produção e economia solidária, na região do Campo das Vertentes, com a aquisição de fornos industriais e armários, e também, oferta de oficinas de formação, que contribuíram para melhoria da qualidade dos produtos e ampliação da produção.

Integraram a programação do seminário: a entrega dos certificados referente às oficinas de formação, apresentação dos resultados e o selo da rede de alimentação.

“O projeto teve um ano de duração sendo finalizado com o seminário. Sabemos que o trabalho foi bem realizado, quando ao olhar no rosto destas mulheres avistamos sorrisos e gratidão. Além da melhoria da renda e ampliação da produção, os grupos conquistaram novos espaços de comercialização com abertura de mercado e participação de outros atores como: universidade, prefeituras, feiras e comerciantes locais”.

Disse: Flávia Carvalho – gerente estadual da Moradia e Cidadania.

Em destaque: Maria Beatriz - Movimento do GRAAL no Brasil, Deka Brant - FASFI Brasil, Irmã Edna - FASFI Brasil e Flávia Carvalho - Moradia e Cidadania

Em destaque: Maria Beatriz – Movimento do GRAAL no Brasil, Deka Brant – FASFI Brasil, Irmã Edna – FASFI Brasil e Flávia Carvalho – Moradia e Cidadania

 

Momentos do seminário

Momentos do seminário

 

Em destaque: Agda Marina e Maria Beatriz - Movimento do GRAAL no Brasil

Em destaque: Agda Marina e Maria Beatriz – Movimento do GRAAL no Brasil

Exemplo de banner e selo produzido para a rede de alimentação

Exemplo de banner e selo produzido para a rede de alimentação

Exemplos de rótulos criados

Exemplos de rótulos criados

3ª oficina de formação do projeto MUITAS

3ª oficina de formação do projeto MUITAS

O evento foi realizado no dia 13/11, na propriedade Colônia do Felizardo, na zona rural de São João Del Rey.

Na ocasião reuniram-se 40 mulheres integrantes de grupos de produção de alimentos da região dos campos das vertentes com o objetivo de socializar informações acerca da utilização dos equipamentos adquiridos, debater acerca da elaboração de material gráfico e de divulgação das receitas, histórias e criação de identidade visual.

O projeto tem o objetivo de fortalecer os grupos de economia solidária que atuam fora da região metropolitana de Belo Horizonte.

A Moradia e Cidadania esteve representada por sua gerente estadual Flávia Carvalho que também integra a equipe de organização.

Moradia e Cidadania investe no esporte, lazer e na melhoria da qualidade de vida das pessoas!

O Projeto “Cricket na Comunidade” é desenvolvido desde o ano de 2011, e a partir de 2017 a Moradia e Cidadania tem apoiado esta ação com a aquisição de novos uniformes, equipamentos esportivos e material de consumo.

Acreditamos que através da educação e da prática do esporte nossos jovens podem conquistar um futuro melhor para si e suas famílias.

O Projeto Cricket Poços de Caldas nasceu com o objetivo de popularizar o esporte, que é o segundo mais praticado no mundo.

Com grande aceitação das entidades e da população, o programa contribui com a comunidade local, oferecendo desenvolvimento esportivo, recreação e descobrindo novos talentos do esporte.

O projeto esportivo atende atualmente alunos a partir de 6 anos de idade, que gratuitamente frequentam as aulas em núcleos como a Associação de Assistência aos Deficientes Visuais (AADV), Casa do Menor, Colégio Municipal, Associação Atlética Caldense, Projeto Bem Viver, Parque Municipal, entre outros.

1ª Oficina do Projeto MUITAS

A Moradia e Cidadania MG, parceira na realização do PROJETO MUITAS, convida para Oficina de Alimentação, Nutrição e Restrição Alimentar a ser realizada no dia 25 de junho, das 8h30 às 17h30, na sede da ONG Nova Geração Brasil, na cidade de São João Del Rey.

O PROJETO MUITAS é uma colaboração de caráter solidário visando melhor condição de vida e socialização de grupos de mulheres rurais que vivem no interior do estado de Minas Gerais, abrangendo núcleos de economia solidária na região “Campo das Vertentes”.

A Moradia e Cidadania colabora diretamente com a assessoria técnica de sua equipe.

Para cego ver: Fundo abstrato com dizeres sobre a organização da oficina e informações gerais sobre o projeto.  Texto literal: Oficina Alimentação, Nutrição e restrição Alimentar. A Coordenação do PROJETO MUITAS convida para participação na 1ª OFICINA "Alimentação, Nutrição e Restrição Alimentar, a ser realizada no dia 25 de junho de 2018, das 8h30 às 17h30, na sede da ONG Nova Geração Brasil - São João Del Rey / MG.  O projeto MUITAS é uma colaboração de caráter solidário visando melhor condição de vida e socialização de grupos de mulheres rurais que vivem no interior do estado de Minas Gerais, abrangendo núcleos de economia solidária na região "Campo das Vertentes".  Programação: 8h30 - Acolhida, inscrição, café mineiro e credenciamento 9h50 - Mística de abertura 10h às 2h - Alimentação e Nutrição para pessoas com restrições alimentares 12h - Almoço 13h às 17h - Oficina prática 17h às 17h30 - Avaliação e encerramento  contato e informações: projetomuitas2018@gmail.com  Projeto: Muitas Patrocínio e realização: FASFI - Fundacion Ayuda Solidaria Hijas de Jesus Apoio e parceria: Movimento do GRAAL no Brasil, Grupo de Mulheres da Economia Solidária MG e Moradia e Cidadania.

I Campeonato Cricket na Comunidade 2017

Com a presença de 12 equipes de projetos sociais e mais de 120 crianças, o Campeonato Cricket na Comunidade teve sua primeira edição no Estádio Ronaldão, com o apoio da Secretaria de Esportes e Lazer e a ONG Moradia e Cidadania.
O Campeonato vem sendo realizado desde 2015 e é um sucesso entre os projetos. As equipes são divididas em grupos A e B, de acordo com a idade dos atletas e tempo de aulas de cricket, assim permitindo que todos tenham oportunidade de jogar e se inspirar.

O Campeonato teve cobertura da mídia local, além de contar com a presença de diversas autoridades do poder executivo e legislativo da cidade.

A Moradia e Cidadania presta apoio na aquisição de materiais e insumos para execução das atividades.

      

Cricket na Comunidade

O projeto “Cricket na Comunidade”, em Poços de Caudas, comemora entrega os uniformes para os projetos contemplados com o apoio da ONG Moradia e Cidadania.
Receberam os uniformes, 285 crianças participantes dos projetos sociais: PMJ Vilas Unidas, PMJ Santa Maria, Casa do Caminho, Galpão das Artes e Lar Criança Feliz.

A Moradia e Cidadania presta apoio na aquisição de materiais e insumos para execução das atividades.

Contato:
(41) 9.9671-9164 – www.cricketbrasil.org

Encerramento projeto “Cooperativa Sustentável”

No ano de 2016 nossa equipe percorreu Belo Horizonte pelas cooperativas COOMARP, COOPERSOLI, COOPEMAR, ASSOCIRECILE e COOPERSOL VENDA NOVA com o desafio de implantação e treinamento para uso do novo sistema de gestão, o software Catafácil.

Realizamos um trabalho intenso de acompanhamento dos processos de recebimento de sucata e materiais, triagem, pesagem, empacotamento e prensagem, estoque e venda. Estes processos ocorrem de forma peculiar nas cooperativas integrantes da REDESOLMG e a utilização do software “Catafácil” torna-se de suma importância na unificação de informações. Da mesma maneira, torna-se uma ferramenta eficaz na emissão de notas fiscais e gestão financeira.

Durante o processo de implantação e treinamento enfrentamos juntos diversos desafios, que foram sistematizados em um livreto impresso e distribuído às cooperativas e parceiros.

O encerramento do projeto “Cooperativa Sustentável – Capacitação para utilização do software Catafácil” e certificação dos catadores ocorreram no dia 22 de agosto de 2017, no Espaço de Eventos Unimed-BH.

Esperamos que as cooperativas possam colher os frutos deste bem sucedido empreendimento, que nesta data certifica 28 pessoas, capacitadas à operar o software de gestão Catafácil.

Agradecemos ao Instituto Unimed-BH, pelo apoio financeio, a REDESOLMG pelo apoio político e empenho na realização deste projeto, a BAZO Soluções, pela sua colaboração irrestrita no suporte de demandas recorrentes durante a execução deste empreendimento.

Manuel Alejandro (coord. projeto)

Atuamos desde 2008, no desenvolvimento e fortalecimento das cooperativas de materiais recicláveis, para comercialização em rede.

Dentre as diversas ações que já realizamos para promoção dos catadores de materiais recicláveis destacamos a formalização da central de cooperativas como principal ação estruturante. Marco para profissionalização dos catadores, que deixam de organizar-se apenas como “movimento” e passam a compor um empresa solidária com legitimidade e presença no campo econômico. Em seguida a estruturação do escritório central da REDESOLMG e o fortalecimento das lideranças, como ação de empoderamento que proporcionou a abertura política estabelecendo parcerias e convênios com o poder público de cada localidade. Também promovemos a informatização das cooperativas, através da instalação e manutenção de computadores, internet e  capacitação para melhoria dos processos administrativos.

Convite – Encerramento 2ª Fase – Projeto “Cooperativa Sustentável”

A Moradia e Cidadania-MG atua, desde 2008, no desenvolvimento e fortalecimento das cooperativas de materiais recicláveis, para comercialização em rede. Para atingir estes objetivos diversas atividades já foram realizadas com a REDESOLMG, tais como: formalização da central de cooperativas, estruturação do escritório central, informatização das cooperativas, capacitação para melhoria dos processos administrativos, dentre outros.

Em parceria com o Instituto Unimed-BH realizamos a implantação do software de gestão “Catafácil” em cinco cooperativas da REDESOLMG. Durante o ano de 2016, foram realizadas ações de aquisição de equipamentos mais modernos para administração de cada cooperativa, instalação e treinamento de 27 catadores para utilização do software.

Como desdobramento desta ação foi oferecido uma capacitação avançada para promoção das habilidades de Controle de Vendas e Fluxo de Caixa.

“O projeto Cooperativa Sustentável, em operação desde 2011, é desenvolvido pelo Instituto Unimed-BH e atua no desenvolvimento da gestão e do processo produtivo das cooperativas de Catadores de Materiais Recicláveis de Belo Horizonte, beneficiando mais de 120 catadores de materiais recicláveis”.

Para bater um papo e saber um pouco mais como tudo isso aconteceu, convidamos para o evento de encerramento desta etapa.

Solicitamos a confirmação da presença através do telefone: (31) 9.9925-0756 (whatsapp).