Geração de trabalho e renda

Projeto REDESOL

Contextualização:

Desde o ano de 2008 a Moradia e Cidadania tem atuado como instituição de assessoria e fomento ao segmento dos catadores de materiais recicláveis em Belo Horizonte através do FMLC – Fórum Municipal Lixo e Cidadania. Destacamos apoio ao movimento de catadores CATAUNIDOS, que dentre seus empreendimentos contempla a ASMARE nos anos de 2006 a 2008.

No ano de 2007 em decorrência do amplo trabalho desenvolvido no fórum tivemos a oportunidade de conhecer outros grupos de catadores organizados como associações e distribuídos pela capital.

Detectada a fragilidade dos grupos a Moradia e Cidadania e sua rede de parceiros, à época integrantes do COEP, mobilizaram-se em prol da estruturação e regularização destes empreendimentos e sua formalização em cooperativas.

No ano de 2010 através do projeto CAIXA-ODM foi elaborado o primeiro vídeo institucional e viabilizado o registro para formalização da Central de Cooperativas REDESOL MG que atualmente conta com 10 empreendimentos.

No ano de 2016 em parceria com o Instituto Unimed-BH foi realizada a implantação de um sistema-ERP (CATAFÁCIL) para controle de estoque e gestão comercial nas cooperativas integrantes da REDESOLMG.

A Moradia e Cidadania continua a atuar como entidade de assessoria fomento junto aos catadores de materiais recicláveis da Região Metropolitana de Belo Horizonte e tem promovido auxílio aos catadores na forma de: captação de material (resíduos sólidos), doação de equipamentos e mobiliários, repasse financeiro, apoio na organização e realização de eventos, elaboração de materiais gráficos e de comunicação (site, folders, etc), representação institucional e apresentação de projetos para outros financiadores.

 

Histórico:

A REDESOL MG – Central Cooperativa Rede Solidária de Trabalhadores de Materiais Recicláveis de MG reúne cooperativas e associações de catadores de materiais recicláveis em uma melhor condição de organização, qualidade no trabalho e justiça social.

Atualmente os empreendimentos que compõe a REDESOL MG atuam em Belo Horizonte, Vespasiano, Raposos, Caeté, Santa Luzia e Baldim – Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG). São eles: COOPERSOLI BARREIRO, COMARP, COOMARB, COOPERSOL VENDA NOVA, COOPERSOL LESTE, COOPERSOL NOROESTE, ASSOCIRECICLE, ASCAR, AGEA, RECICLANDO E COOPERVESP, somando um total de 240 trabalhadores diretos.

Missão: Construir uma Rede com gestão compartilhada, buscando autonomia e poder de articulação para comercialização dentro da cadeia de reciclagem, visando geração de trabalho e renda, educação ambiental e preservação do meio ambiente na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Visão: Dialogar e interagir com outras redes visando a consolidação e fortalecimento dos empreendimentos e da cadeia da reciclagem no âmbito estadual, nacional e internacional.

Acreditamos que o desenvolvimento dos empreendimentos deve ter por lógica o desenvolvimento das pessoas e da sociedade a partir dos seguintes valores e princípios:

  • Solidariedade enquanto compromisso ético-político com a igualdade entre os seres humanos e como prática de partilha na defesa da vida.

  • Sustentabilidade dos processos de desenvolvimento, articulando a inclusão social, educação ambiental, valorização da cultura e socialização das riquezas; levando em conta as diversidades regionais e locais.

  • Dignidade humana e qualidade de vida  como exigências fundamentais para o desenvolvimento institucional e pessoal.

  • Democracia como valor universal e como método de tomada de decisão institucional.

“A REDESOL MG tem o papel de unir suas filiadas para melhorar o desempenho desta em todas as áreas de atuação, procurando assim garantir-lhes desenvolvimento social, econômico, solidário, seguro e sustentável ao longo dos tempos.  A partir da articulação em rede os empreendimentos tem apoio na comercialização de materiais recicláveis, melhoramento organizativo e tecnológico da produção, coleta, triagem, beneficiamento e transporte.”

A REDESOL MG – Central Cooperativa Rede Solidária de Empreendimentos de Materiais Recicláveis de MG – é uma central de empreendimentos solidários, que atuam na Região Metropolitana de Belo Horizonte, região hoje composta por 34 municípios.

Foi composta inicialmente em 2002, por dois grupos da reciclagem: O grupo do Conjunto União (que depois se constituiu na Coopersoli) e a Coopinvicta (que depois se dissolveu). Em 2004, essa discussão sobre articulação dos grupos de reciclagem foi retomada, contando com a participação dos seguintes empreendimentos: Coopersoli Barreiro, Comarp, Astemarp e Coocapel (Associrecicle).

Neste mesmo ano Coopersoli e Comarp se filiaram a UNISOL Brasil, central de empreendimentos econômicos solidários (www.unisolbrasil.org.br). A afiliação à UNISOL Brasil de diversos empreendimentos ligados à área de reciclagem constituiu, para os grupos, uma possibilidade tanto de apoio mútuo como de luta fortalecida. Foi daí que partiu o sonho de formalizar uma rede e a necessidade de colocar e partilhar demandas.

Em setembro de 2004, com a participação da Coopersoli e Comarp, foi realizado um Planejamento Estratégico Participativo, no qual buscou-se definir e articular ações estratégicas da REDE. A apresentação dos resultados do planejamento aos grupos, reforçou a necessidade da atuação em rede. Neste mesmo ano, Enrico Giusti – ISCOS/ NEXUS, conheceu as cooperativas de Belo Horizonte e decidiu apoiar um projeto de organização em rede dos empreendimentos. Este projeto teve início em 2006 e   possibilitou a estruturação e organização da REDESOL MG.

De 2005 a 2009, o Projeto Tzedaká, desenvolvido pela Lenun Ambiental, em parceria com a SLU PBH, e apoio de diversos parceiros públicos e privados, desenvolveu ações de formação com alguns empreendimentos de reciclagem do municípios, dentre elas a Comarp, a Coopersoli, a Coopersol Leste, Coopersol Venda Nova e a Coopemar. Através deste projeto, foi realizado, pela primeira vez, um processo de comercialização das embalagens longa vida de forma conjunta por quatro empreendimentos, contando com o apoio da empresa Tetra Pak. Atualmente a REDESOL MG continua contanto com o apoio e acompanhamento da empresa Lenum Ambiental, sob coordenação de Nícia Mafra e seus colaboradores, em diversas ações.

No segundo semestre de 2010, em parceria com a Moradia e Cidadania e a Superintendência da Caixa Econômica Federal – Regional Norte de Minas, os empreendimentos foram contemplados com o Projeto CAIXA – ODM, que viabilizou os trâmites jurídicos e contábeis para formalização da Central de Cooperativas REDESOL MG na Junta Comercial, a formação de um grupo gestor e a realização de um vídeo institucional.

É importante ressaltar ainda que, além desses empreendimentos, várias entidades (UNISOL Brasil, ISCOS / NEXUS, SLU – Sistema de Limpeza Urbana de BH, ADS-MG – Agência de desenvolvimento Solidário, Moradia e Cidadania, Fundação Banco do Brasil) também estão participando, ou participaram, das discussões visando a construção e consolidação dessa Central de Negócios.

A Moradia e Cidadania presta apoio técnico e gestão em TI, comunicação web, articulação política e estrutural para REDESOL e seus afiliados.

Agência de Negócios e Fomento Solidário

O objetivo da ANEFS – Agência de Negócios e Fomento Solidário é articular parcerias com o setor privado, para o estabelecimento de uma cooperação comercial que proporcione trabalho aos grupos assessorados.

A Moradia e Cidadania através da ANEFS em parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte vai atuar em mais um projeto, que irá orientar na organização de vários grupos produtivos ligados a Economia Solidária denominados “Empreendimentos solidários da região do Barreiro e Venda Nova”.

Sabe-se que os grupos inseridos neste contexto enfrentam limitação na estruturação de seus negócios devido à problemas relativos ao capital de giro, estruturação física e de equipamentos, dificuldade na gestão do empreendimento e na produção com qualidade.

A ANEFS atuará na assessoria destes empreendimentos tendo como desafio transformar grupos de confecção com pouca qualificação e pouco conhecimento administrativo, em unidades capazes de atender o mercado formal com mais qualidade e eficácia.

Em outra ocasião o projeto tratou de instituir mecanismos que possibilitassem a ampliação e reaplicação de uma experiência iniciada no município de Belo Horizonte denominado Fábrica Social.

O projeto Fábrica Social teve por finalidade a geração de trabalho e renda de segmentos socialmente excluídos do mercado formal de trabalho, por meio da articulação da Caixa Econômica Federal para a celebração de convênios de cooperação comercial com redes empresariais.

Contexto: Este projeto desenvolveu suas atividades como um desdobramento da sistemática Fábrica Social, disseminada pela Caixa Econômica Federal com referência no piloto desenvolvido com o Núcleo de Costura da ASMARE e a SANTA CASA de Belo Horizonte, em 2007/2008.

Em 2009, a “sistemática” da Fábrica Social foi utilizada pela URBEL-Companhia Urbanizadora de Belo Horizonte na intervenção do PAC-Programa de Aceleração do Crescimento em Vilas e Favelas de Belo Horizonte, potencializando o eixo de “trabalho e renda”, onde surgiu a Unidade Produtiva de Confecção e Silk da Vila São José.

No período de 2009 a 2010, os empreendimentos de costureiras comercializaram a produção para a Santa Casa de Belo Horizonte e a Construtora ENAR, mas devido a dificuldades para aquisição da matéria prima, acesso a crédito, gestão administrativa e eficácia na produção, acabaram por dispensar outros pedidos oriundos das empresas filiadas às redes empresariais, o que motivou a Moradia e Cidadania buscar fontes de recursos para melhor estruturar o projeto Fábrica Social nos quesitos gestão de negócios e eficácia na produção.

Estes esforços culminaram na elaboração de um projeto para assessorar os grupos. Nasce aí a Agência de Negócios da Fábrica Social.
- – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – - – -
A Agência de Negócios e Fomento Solidário é um avanço da então, “Agência de Negócios da Fábrica Social” e surgiu com a missão de atuar por meio de uma metodologia que considera os processos organizacionais de uma empresa formal, balizado com os princípios da economia solidária.

Todo o trabalho de capacitação foi direcionado para a promoção da capacidade analítica e crítica dos trabalhadores sociais. Os cursos de capacitação foram desenvolvidos através de metodologia participativa. Cada conteúdo foi abordado a partir dos conhecimentos apresentados pelos trabalhadores, buscando valorizar o saber e promover a autonomia destes sujeitos.

Aulas expositivas, debates, vídeos, relatos de experiências, jogos e outros dispositivos foram elaborados para facilitar o processo de comunicação e aprendizagem dos trabalhadores integrantes dos grupos inseridos no projeto.

Clique aqui e acesse o blog do projeto.

Comitê Divinópolis

A regional Divinópolis possui 102 associados, que são empregados da Caixa e clientes parceiros. Com o propósito de potencializar suas ações sociais, a ONG definiu, em Divinópolis, suas atividades com foco em projetos e iniciativas cujo público alvo seja crianças e adolescentes de até 18 anos que contemplem complementação alimentar, inclusão social, formação educacional e esportiva, atividades artísticas, geração de emprego e renda, dentre outros. As principais instituições que estão sendo atendidas são:

Associação de Promoção e Cidadania do Bairro Santa Lúcia Projeto Pão da Alma
Com o objetivo de ampliar suas ações o Comitê estabelece parceria com diversas instituições locais dentre elas a Associação de Promoção e Cidadania do Bairro Santa Lúcia com o Projeto Pão da Alma que tem dado bons frutos. Além de palestras sobre cidadania, relacionamento conjugal, higiene e cuidado com crianças os envolvidos tem acesso a diversas programações culturais e recebem roupas, calçados e brinquedos que são arrecadados através e campanhas pontuais. Com início de seus trabalhos em 1992, presta serviços de desenvolvimento social, com prioridade na formação educacional de crianças e adolescentes oferecendo atividades que estimulem o seu crescimento moral e espiritual, como palestras atividades culturais, incentivando-as ao aprendizado da musica, da dança, teatro e cursos profissionalizantes. O objetivo do projeto é que após o cadastramento, cada família atendida possa conseguir um emprego e criar as condições necessárias para se auto-sustentar. Vale ressaltar que em famílias com crianças em idade escolar, a frequência às aulas é um dos pré-requisitos obrigatórios para serem cadastradas. Um ambulatório e um consultório médico odontológico está previsto para integrar as obras que este projeto oferece à comunidade.

Casa de Acolhimento Mãe do Perpétuo Socorro
Outra parceria que estabelecemos é com a Casa de Acolhimento Mãe do Perpétuo Socorro, o trabalho de acolhimento à crianças e adolescentes encaminhados pelo Conselho tutelar e o Juizado da infância e adolescentes. Cerca de 20 crianças recebem atendimento médico, odontológico, psicológico e jurídico. O estabelecimento mantém suas atividades por meio de doações, promoções de eventos, rifas e outros. Se você se interessa por alguma dessas atividades venha fazer parte!